sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Utopia ou realidade... Está mais para um sonho muito, muito distante....







O ministro das Cidades, Marcio Fortes, defendeu hoje a inclusão da construção da Linha 3 do Metrô do Rio de Janeiro no Projeto Piloto de Investimentos (PPI) do governo federal. A inclusão garantiria a aplicação de recursos necessários para a execução da ligação entre Niterói e São Gonçalo, trecho inicial da linha, que irá de São Gonçalo ao Centro do Rio de Janeiro.A idéia de inclusão no PPI havia sido apresentada pelo governador eleito do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Marcio Fortes, estão sendo estudadas duas possibilidades. A primeira é através da ampliação do PPI para abarcar novos projetos.Outra forma é remanejar recursos de projetos do Ministério das Cidades já incluídos no PPI, como as obras dos metrôs de Belo Horizonte e Recife. “Essas duas possibilidades seriam apenas o pontapé inicial. Cabe depois ao governo do estado discutir com o governo federal, como seria a engenharia financeira para seguir a obra”, disse Fortes.O ministro destacou que a linha 3 tem importância estratégica por passar nas proximidades do pólo petroquímico de Itaboraí, que será construído nos próximos anos. “Com a criação do pólo petroquímico, temos que ter uma alternativa de transporte para quem vai construir e depois trabalhar no pólo. Até para desafogar a linha rodoviária existente”, afirmou.A linha tem dois trechos. O primeiro ligará a localidade de Guaxindiba, em São Gonçalo, até o Centro de Niterói, e tem um orçamento previsto de R$ 1,12 bilhão.

O segundo trecho, a ser construído posteriormente, ligará Niterói ao Centro do Rio, através de um túnel de 5,5 quilômetros que passará por baixo da Baía de Guanabara, com o custo de R$ 1,87 bilhão.De acordo com a Secretaria Estadual de Transportes, responsável pelo Metrô fluminense, se o dinheiro for disponibilizado a partir do início de 2007, será possível fazer o projeto em oito meses e iniciar as obras já no segundo semestre do próximo ano.

A construção do trecho Guaxindiba-Niterói tem previsão de término no prazo de três anos e meio. Segundo o futuro secretário de Transportes do Rio de Janeiro, deputado federal Julio Lopes, o governador eleito e atual senador, Sergio Cabral, deverá propor uma emenda parlamentar para disponibilizar mais de R$ 100 milhões do orçamento da União para o projeto da Linha 3. Cabral também deve começar a conversar amanhã, com a direção do Banco Mundial, sobre a possibilidade de financiamentos.

4 comentários:

PREFÁCIO DO LIVRO COMO UMA PLUMA disse...

Este metrô vai ser mais um desastre para Niterói, se não houver um ramal para a região Oceânica, alivando o caótico transito de Niterói, senão vai ficar refém da ponte e do Metrô e vai ficar inviável andar em Niterói

PREFÁCIO DO LIVRO COMO UMA PLUMA disse...

Este metrô vai ser mais um desastre para Niterói, se não houver um ramal para a região Oceânica, alivando o caótico transito de Niterói, senão vai ficar refém da ponte e do Metrô e vai ficar inviável andar em Niterói

PREFÁCIO DO LIVRO COMO UMA PLUMA disse...

Este metrô vai ser mais um desastre para Niterói, se não houver um ramal para a região Oceânica, alivando o caótico transito de Niterói, este vai ficar refém da ponte e do Metrô e vai ficar inviável andar em Niterói

PREFÁCIO DO LIVRO COMO UMA PLUMA disse...

Este metrô vai ser mais um desastre para Niterói, se não houver um ramal para a região Oceânica, alivando o caótico transito de Niterói, este vai ficar refém da ponte e do Metrô e vai ficar inviável andar em Niterói